Orientações – SBAC – Consulta Pública


ORIENTAÇÕES – SBAC

As alterações propostas pela Consulta Pública nº 912/2020 (CP 912/20) representam grande retrocesso no ramo das análises clínicas ao prejudicar a qualidade dos exames laboratoriais. Para garantir a não continuidade da CP/912, a participação popular é de extrema importância, podendo ser realizada até o dia 23/10/2020.

Para assegurar que todos possam demonstrar sua insatisfação com o proposto pela Consulta, a Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC) divulgou um documento com orientações que incluem desde o acesso ao site, até o envio da sua resposta.

=====================================

Siga o passo a passo a seguir:

É importante que essa opção seja marcada, pois a ANVISA desconsidera participações sem justificativa.

  • Ao ser perguntado sobre seu posicionamento, assinale a opção “Tenho outra opinião.”
  • A seguir, sua opinião deve ser redigida no espaço indicado.

A SBAC sugere alguns modelos para elaborar sua proposta:

  • Desconstrução do laboratório clínico que é uma instituição reconhecida internacionalmente e regulada por normas rígidas. Certamente é o setor de saúde mais regulado do país.
  • Fragilização da segurança sanitária decorrente dos ambientes inadequados e operadores não habilitados e/ou não capacitados permitidos pela proposta.
  • Prejuízo na garantia da qualidade por possibilitar a realização de exames sem os rigores de controle da qualidade definidos e exigidos atualmente pela RDC 302/2005.
  • Descaracterização dos locais de coleta e armazenamento de amostras, comprometendo a fase pré-analítica e, consequentemente, a qualidade do serviço.
  • Fragilização do atendimento com grande impacto na segurança do paciente.
  • Promoção da insegurança na sociedade em relação aos locais onde os exames são realizados com qualidade.
  • Retirada das análises clínicas dos laboratórios passando para estabelecimentos sem expertise técnica.
  • Permissão da realização dos exames por profissionais sem conhecimento especializado e treinamento adequado.
  • Incentivo ao uso de testes fáceis de operar, mas com desempenho inferior ao dos exames laboratoriais avaliados por programas de proficiência.
  • Desvalorização dos laboratórios de análises clínicas e desrespeito aos profissionais legalmente habilitados e com expertise profissional.
  • Desvinculação das fases pré analítica, analítica e pós analítica.
  • A RDC 302/2005 em vigor tem sido fundamental para a regulamentação das análises clínicas e deve ser atualizada para garantir a contínua melhoria da qualidade nos exames laboratoriais. Todavia, a proposta da ANVISA fragiliza os processos, colocando em risco a segurança do paciente.
  • A maioria dos problemas que hoje existem não são decorrentes da falta de regulação, mas sim devido a fiscalização sanitária insuficiente e não padronizada. O texto proposto acentuaria esta fragilidade.

A SBAC frisa que o participante pode elaborar o argumento com opiniões próprias, não necessitando estar preso aos modelos sugeridos. Importante: a ANVISA desconsidera participações com justificativas baseadas em opiniões emotivas e com comentários mal intencionados.

  • No local de referências bibliográficas, pode ser descrito as principais fontes – RDC, Normas Técnicas dentre outras – que estruturam sua opinião. A SBAC sugere:
  • ABNT NBR ISO 15189:2015.
  • ABNT NBR ISO 22870:2020.
  • Manual de Boas Práticas Laboratoriais de Patologia Clínica ou Análises Clínicas – Despacho n.º 10009/2019 MS.
  • Decreto -Lei n.º 127/2014.
  • O espaço de inclusão de arquivos é opcional, embora a SBAC recomende a não inclusão.
  • Posteriormente, ao ser questionado sobre o impacto da CP, assinale a opção “Negativos”. Será necessária a descrição dos impactos negativos, a qual deve estar relacionada com as opiniões que deixou anteriormente.

A SBAC sugere alguns modelos para elaborar sua proposta:

  • Capítulo I – Seção III: Utilização de termos e conceitos diferentes daqueles padronizados internacionalmente.
  • Capítulo II – Seção I – Subseção I – Art. 15: Abre precedente para que profissionais sem habilitação e experiência em análises clínicas possam realizar os exames, colocando em risco a segurança do paciente.
  • Capítulo II – Seção I – Gestão da Qualidade: Não descreve a necessidade de Plano de Gerenciamento de Resíduos em Serviços de Saúde, colocando em risco a saúde humana, animal e ambiental – Saúde Única, devido a produção de resíduos biológicos.
  • Capítulo II – Seção I – Subseção I; Capítulo III – Seção II – Subseção I: Não descreve claramente a obrigatoriedade de realização de controle interno e externo da qualidade, premissa para garantir a qualidade de exames laboratoriais, colocando em risco a acurácia do processo.
  • Capítulo III – Seção III: Abre precedente para que profissionais sem habilitação e experiência em análises clínicas possam liberar o laudo do exame, em qualquer situação, colocando em risco a garantia de controle dos processos em saúde.
  • Por fim, grave sua resposta.

O CRF-ES apoia a luta dos farmacêuticos contra a CP 912/20. Faça sua parte!

As orientações da SBAC podem ser lidas na íntegra pelo link: https://www.sbac.org.br/wp-content/uploads/2020/09/Orienta%C3%A7%C3%B5es-sobre-a-Consulta-P%C3%BAblica-da-ANVISA-9122020-elaboradas-pela-Comiss%C3%A3o-de-Revis%C3%A3o-da-RDC-3022005.pdf

Leia também a CP 912/20: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/5919009/CONSULTA+P%C3%9ABLICA+N+912+GGTES.pdf/f4eb5983-1d6c-4084-b129-b63b3f5cddac

Diretoria do CRF-ES
Gestão 2020/2021

Consulta pública (CP) 912/20 – ANVISA
Farmacêutico dá dicas de higiene para quando for entrar no veículo
NOTIFICAÇÃO RECOMENDATÓRIA MPES

Av. Anísio Fernandes Coelho, 104
Jardim da Penha - Vitoria - ES
CEP: 29060-670